08/11/2017

Últimas notícias sobre a legalização do jogo no Brasil

Diversos movimentos políticos pedem a regulamentação: cada um com um objetivo.

Desde a absolvição de Michel Temer na Câmara dos Deputados, os projetos até então estagnados na casa do legislativo passam a novamente ser discutidos. Além da Reforma da Previdência, a legalização de cassinos, bingos e jogo do bicho tem sido altamente debatida por políticos e imprensa.

Deputado Pompeo de Mattos (PDT-RS)

O deputado representa a Região Sul na Frente Parlamentar pela Aprovação do Marco Regulatório dos Jogos no Brasil. A última atualização do parlamentar é que nas últimas semanas têm ocorrido reuniões com pessoas ligadas ao segmento, e que na próxima haverá encontro com o presidente da Câmara, Rodrigo Maia. Nos bastidores é comentado que o líder do parlamento vê com bons olhos a liberação de jogos mais sofisticados como os de cassino. No entanto, a intenção da Frente, segundo Pompeo de Mattos, é outra. “A gente quer os cassinos, mas junto com eles nós queremos também os bingos e o jogo do bicho”, comentou.

O objetivo da Frente é aprovar o Marco Regulatório, legalizando e regulamentando o jogo no Brasil. A ideia é arrecadar com impostos que serão investidos em saúde e educação.

Eunício, os jogos de azar e a ‘hipocrisia’

Um grupo de Governadores se reuniu, na última terça-feira (7), com o presidente da Câmara Rodrigo Maia (DEM-RJ), e do Senado, Eunício de Oliveira (PMDB-CE). A ideia dos representantes estaduais é que os jogos de azar sejam liberados e os impostos sejam destinados para um fundo de segurança pública. A proposta foi discutida na residência oficial do governador do Distrito Federal, Rodrigo Rollemberg.

Segundo o jornal Estadão, o presidente do Senado afirmou que o Congresso precisa “acabar com essa hipocrisia de não receber matérias dessa natureza”.

Análise da jornalista Lydia Medeiros (O Globo)

Lydia Medeiros, de O Globo comentou a grande diversidade de propostas que surgiram nos últimos meses com a intenção de viabilizar a legalização. A última delas investiria o dinheiro arrecado com impostos em um fundo de Segurança Pública. Três meses atrás a proposta de um dos relatores da Reforma Política era que os impostos fossem utilizados para bancar às eleições. O presidente do Senado, Eunício Oliveira, defende que a arrecadação seja utilizada em benefício a Saúde. Já o presidente da Câmara deseja que o dinheiro arrecado seja utilizado para salvar a Previdência.

Independente dos fins arrecadatórios do jogo, a atividade irá criar muitos empregos, o que não deve ser ignorado em um momento onde há 13 milhões de pessoas desempregadas no país. Com tantas especulações, o jogo tende a ser legalizado, mas a discussão ainda irá se estender. 

 

 

 

Quer jogar online? Ganhe R$ 35 de graça para começar!